Quer se comunicar com a gente? Entre em contato pelo e-mail neumac@oi.com.br. E aproveite para visitar nossos outros blogs, o "Neuza Machado 2", Caffe com Litteratura e o Neuza Machado - Letras, onde colocamos diversos estudos literários, ensaios e textos, escritos com o entusiasmo e o carinho de quem ama literatura.

domingo, 31 de outubro de 2010

PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF: ODISSÉIA MARIA GUERREIRA BRASILEIRA

PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF: ODISSÉIA MARIA GUERREIRA BRASILEIRA

NEUZA MACHADO

... mas, como eu ia contando, no Século XXI, com Sensacionais Setenta Vezes Sete Passos Concedidos por Deus, a Odisséia Maria Guerreira Brasileira tomará gloriosamente a Poderosa Armadura de seu tetravô greco-romano-português-espanhol da puerta del sol-africano-brasilano-mineiro-gabrovano-Belohorizontano das Montanhas do Oiro das Minas Gerais e continuará as Incríveis Aventuras Epo-Ficcionais Transcendentais Sem-Iguais que fizeram a Grandeza Passada dos Patriarcas do Segundo Milênio Guerreiro Horroroso Tenebroso Desditoso Belicoso de Peixes, mas, como eu ia contando... mas... como eu ia contando...

... mas, como eu ia contando, no Século XXI, no Décimo Anno do Terceiro Milênio, em um Dia 31 de Outubro Maravilhoso, depois do Glorioso Governo do Metalúrgico Luís Inácio Lula da Silva, o Verdadeiro Povo Brasileiro derrubou mais um funesto preconceito milenar, elegendo com muita luta e pertinácia a Primeira Mulher Presidente do Brasil: Senhora Dilma Vana Rousseff.

sábado, 30 de outubro de 2010

DILMA ROUSSEFF AFIRMA DURANTE O DEBATE DA TV GLOBO: QUEM CUIDA DOS POBRES EM SÃO PAULO É O GOVERNO FEDERAL

DILMA ROUSSEFF AFIRMA DURANTE DEBATE NA TV GLOBO: QUEM CUIDA DOS POBRES EM SÃO PAULO É O GOVERNO FEDERAL

29.10.2010

http://www.dilma13.com.br

A candidata à presidência, Dilma Rousseff, afirmou hoje, durante debate da TV Globo, que quem cuida das pessoas carentes em São Paulo, estado governado até março desse ano pelo candidato tucano, José Serra, é o governo federal, com os programas sociais da gestão petista.

Ela reclamou ainda que o governo do PSDB dificulta o acesso ao benefício. “Quem cuida de pobres em São Paulo é o governo federal. São Paulo tem 1,4 milhão de famílias que precisam do Bolsa Família. Atendemos apenas 1,1 milhão. E essas 300 mil não atendemos porque o município e o estado não fazem cadastro”, disse.

Segundo ela, a questão social para ela não é um detalhe. É o centro da sua proposta. “A questão social é fundamental no meu projeto. Além do concreto e do cimento, o que é mais importante é a vida das pessoas. Tiramos 28 milhões da pobreza e vou tirar os 21 milhões que ainda estão na pobreza extrema”, disse.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DA MOCIDADE AGITADA E DOS SONHOS GLORIOSOS PARA O BRASIL DO FINAL DO SÉCULO XX SEM COLORIDOS FORMOSOS - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DA MOCIDADE AGITADA E DOS SONHOS GLORIOSOS PARA O BRASIL DO FINAL DO SÉCULO XX SEM COLORIDOS FORMOSOS - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO TERCEIRO CANTO - 4


... os Jovens Guerreiros Verdadeiros dos Annos Sessenta mudaram a Face do Brasileiro Mundo Rotundo, Raimundo!,
os Annos Rebeldes de uma Década Rebelde,
os Jovens Guerreiros Verdadeiros dos Annos Sessenta se rebelando contra os Patriarcais Ilegais Preceitos Antigos,
abaixo o sutiã, diziam as lindas mocinhas,
os moços não queriam cortar os cabelos compridos,
moços cabeludos enfrentando seus pais por baixo dos panos imorais,
moças transando com seus namorados,
todos enfrentando as patriarcais ordens severas por baixo dos panos imorais,
todos com pavor incontido da Guerra Cruel,
guerreando às avessas per um Mundo de Paz,
entretanto, as drogas e o vício acabando com alguns brasileirinhos pobrinhos jovens sem-rumo,
maconha, cocaína, heroína e LSD;
hoje, Final do Século XX-1999,
é o crack, matando a pobre juventude sem-rumo-seguro,
atores e atrizes de novela global lutando contra o vício e a morte,
perecendo per culpa das próprias ações insensatas,
jovens famosos morrendo de Aids,
contaminados por usarem agulhas infectadas,
jogando em suas veias o vício e a morte;
Pobre Juventude do Final do Segundo Milênio-1999!,
Pobre Juventude com medo do Amanhã Sem Ideal!,
se drogando e fugindo das responsabilidades sem troco impostas pelas Perversas Leis Sociais,
fugindo, fugindo de um Futuro Incerto Inseguro;
e vão fugindo da Vida Sofrida de 1999,
amedrontados e trôpegos,
os Filhos dos Antigos Jovens Rebeldes dos Annos Sessenta, inseguros e infelizes,
com pavor do Futuro,
com pavor do Futuro que desejo Sem-Muro para o Brasil Varonil do Futuro Terceiro Milênio;
óh, minha Gente Brasileña Brasilesa da Actual Colonização Mental de 1999 e Tal!
óh, meu Povo Pobrinho Americano do Sul de 1999!,
sinto o peito excruciado só por relatar tais agruras!,
preferia, antes disso, sofrer em minh’alma trabalhos cansativos sem conta;
e seus pais, coitadinhos!,
me refiro apenas aos Vibrantes Verdadeiros Jovens Rebeldes do Ontem Rebelde,
agora, sisudos carecas políticos,
sem suas vastas cabeleiras e sem as grossas pulseiras de metal argentado,
e suas mães puritanas, austeras, no passado também foram jovens rebeldes prafrentex;
hoje-1999 se preocupam e temem pelo Futuro Sem-Muro dos Filhos Queridos,
Alguns Traidores do Passado Guerreiro,
Alguns que fugiram para o Estrangeiro no Momento Fatal,
esquecidos dos Annos de Rebeldia Sadia,
querem por força mudar o Destino Glorioso dos Filhos do Brasil e o Destino Glorioso do Brasil Varonil...
Alguns que fugiram para o Estrangeiro e não enfrentaram torturas carnais e mentais, infelizmente, voltaram,
neste Anno Insano de 1999,
e rancorosos maldosos desejam o pior para o Brasil Varonil...
neste Anno Insano de 1999,
querem novamente vender para o Estrangeiro o Brasil Varonil...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

terça-feira, 26 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DAS FURIOSAS BANDINHAS DE MINAS GERAIS E DOS SONHOS ALADOS PARA O BRASIL ADORADO DO SÉCULO XX SEM COLORIDO ANIMADO - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DAS FURIOSAS BANDINHAS DE MINAS GERAIS E DOS SONHOS ALADOS PARA O BRASIL ADORADO DO SÉCULO XX SEM COLORIDO ANIMADO - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO TERCEIRO CANTO - 3

... as Bandas de Música, de 1960 per acá,
neste Anno Insano de 1999,
já não são parecidas com as Bandas dos Coretos Domingueiros de Outrora de alá,
as Saudosas Furiosas Bandinhas de Música de minha Infância Mineira,
tocando dobrados e valsas vienenses nos Coretos das Ágoras das Pequeninas Cidades do Interior do Brasil Varonil,
encantando as crianças e os adultos também,
e os músicos todos com suas fardas azuis,
com lindos apliques da cor do ouro velho,
e os músicos todos com seus brilhantes instrumentos,
espalhando pelo ar os sons maviosos, orgulhosos,
tocando instrumentos de sopro, flauta doce, saxofone, trombone e pistom,
vários outros instrumentos e et cœtera e tal,
todos acompanhando a batida do bumbo,
é pura emoção, meu Deus dos Cristãos!, recordar isto tudo!,
meu Pai tão amado foi trombonista da Banda de minha Cidade Natal,
tocava marchas e hinos e encantava os habitantes de lá,
naquelas Tardes Distantes dos Annos Cinquenta,
no Antigo Coreto da Ágora Central de Carangola Frajola,
o Antigo Coreto,
um Bello Monumento Que Não Foi Tombado,
mas, infelizmente, foi tombado e quebrado,
aquela Praça defronte à Igreja Matriz,
a Igreja Matriz de Santa Luzia dos Cegos Videntes de minha Carangola Frajola,
a mesma Igreja Católica de meu batizado,
no dia Treze de Julho de um Anno Qualquer dos Annos Quarenta,
meus pais e padrinhos (o Antônio e a Joanna, o José e a Rita) juraram em meu nome qu’eu sempre seguiria os preceitos romanos,
adorando a Deus Pai Celestial sobre todas as coisas,
rejeitando sempre as outras crenças infiéis;
entretanto, todas as crenças acreditam em um Ser Supra-Divino,
e todas elas acreditam também em um Céu Divinal,
acreditam em um Lugar Praláde Especial,
para onde irão os que acreditaram,
e eu não posso atirar pedras nas outras com pedras!,
não acredito que o meu Deus dos Cristãos aprovasse isso, não!,
por isto, respeito as Águas Espirituais de Todas as Fontes Brilhantes;
Compadre Meu Quelemém, aquele Compadre também de Riobaldo Guerreiro, Amigo Sincero de João Cordisburgo dos Guimaranes Poderosos de Portugal, foi quem me ensinou,
ele segue os preceitos de um crente Matias,
mas não deixa de ler os ensinamentos de Kardec,
e de vez em quando vai ao candomblé dos deuses baianos;
mas, quomodo eu ia dizendo,
não fui ao Show Roqueiro, na Praia, no Posto 4 de Copacabana,
não, não vi o meu aluno João bater o compasso de sua banda agitada,
ele é baterista de uma banda de rock dos Annos 90,
o rock foi a trilha sonora de uma geração inteira,
a Geração Barulhenta dos Annos Sessenta e Setenta,
os grandes rockeiros de então hoje são velhos sessentões;
alguns já morreram!;
Pink Loid, a Banda dos Rolls Stone, os Beatles, os rockeiros cabeludos dos Annos Sessenta e Setenta são hoje Cidadãos Mitológicos do Século XX Sem Vinho e Sem Pão;
assim, João Baterista!,
meu Aluno Rockeiro dos Dias Actuais!,
deste Anno Insano de 1999,
vai ficar para outra vez!,
na verdade, meus ouvidos veirotos são sensíveis demais,
não aguentam os estridentes sons das bandas de rock actuais,
os sons violentos e altissonantes são uma chuva de pedras nos meus ouvidos senis,
longe está a década de sessenta de minha mocidade agitada,
quando eu vibrava com os rocks da época,
ouvindo as músicas loucas da juventude de então,
dançando freneticamente a dança dos Beatles,
e eu era jovem, bonita e muito faceira,
dançava, requebrava e pulava, acompanhando o som daquele ritmo infernal,
e foi a época de minha rebeldia, Leitor!,
meu Amado Leitor do Século XXI e Seguintes!...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DOS BELLOS SONHOS COLORIDOS ALADOS PARA O BRASIL DO FINAL DO SÉCULO XX SEM COLORIDO ANIMADO - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DOS BELLOS SONHOS COLORIDOS ALADOS PARA O BRASIL DO FINAL DO SÉCULO XX SEM COLORIDO ANIMADO - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO TERCEIRO CANTO - 2

... mas, como eu ia dizendo,
hoje, Dia 23 de Janeiro de 1999,
a noite passou, Madrugada!,
tive Bellos Sonhos Mui Coloridos,
sonhei que estava em uma Festa de Sonhos,
do Alto da Galeria Enfeitada apreciando o Espetáculo Dinâmico,
um grupo de jovens dançando dançando dançando e encantando,
com suas lindas vestimentas mui coloridas,
dançando e encantando em um palco soberbo,
os jovens dançavam em uma das Praias do Rio de Janeiro Vibrante,
dançavam na Praia do Arpoador, Leitor!,
e os Barcos Coloridos desfilavam no mar,
e era um Espetáculo de Rara Beleza;
meu Felizardo Ouvinte ou Leitor do Vigésimo Primeiro Século Seguinte do Amor,
no seu Século XXI,
o Mundo será muito mais cordial, mais limpo e mais bello;
os Jovens Cariocas dançavam dançavam dançavam e cantavam e encantavam,
e eu, Odisséia Maria, na Infinitesimal Galeria,
apreciando a Bella Festa Brasileira,
mas, como eu ia dizendo,
a noite passou,
e o 23 de Janeiro de 1999 chegou, sim Senhor!,
com Quatro Planetas Favoráveis no Memorável Céu Astrológico do Brasil Varonil,
Sol, Júpiter, Netuno e Mercúrio, aumentando as minhas possibilidades de muito sucesso no Amor Brasileiro,
na Sociedade Total Brasileira
e na Profissão Brasileira Legal,
e o Oráculo Vidente Influente me empurrando pra Frente,
espere o Terceiro Milênio chegar, Odisséia!
não morra antes de realizar os seus Sonhos de Amor Brasileiro!, Odisséia!,
espere o Anno de 2003 chegar!, Odisséia!,
espere o Dia 1o de Janeiro de 2003 do Glorioso Futuro do Brasil!,
espere as Boas Surpresas que virão pra Você!,
mas, por enquanto, neste Anno Insano de 1999,
não deixe de se divertir e amar!,
curta cada segundo de vida ofertada!,
os deuses do Olimpo, os deuses da Floresta dos Celtas, os deuses do Egito, os deuses dos Índios do Amazonas, os do Candomblé, os deuses Indianos e as divindades Budistas, os astros poderosos et cœtera e tal,
todos reunidos em um Grande Agorá olhando por Você;
solucione seus Problemas da Vida na Terra!,
vá em frente, sem medo do Porvir!, Odisséia Maria De Mente e De Idéia!;
cumpra seu destino fatal no Mundo Vital!,
Você terá seu Mundo de Sonhos Legais e et cœtera e tal,
pois o Sol em Aquário lhe é favorável,
os Sóis Aquarianos lhe envolverão com correntes,
os aquarianos estão de olho em Você, cuidado Mulher!,
não se envolva com Aquariano, não!,
senão, adeus liberdade e viagens sem fim,
os Aquarianos estão todos à espreita, Mulher!,
querendo laçar uma Sagitariana Feliz,
e a Liberdade é um bem precioso demais,
cuidado com Aquariano neste Mês de Janeiro de 1999,
cuidado com Aquarianos até 19 de Fevereiro de 1999,
depois, fique muito tranquila,
os Piscianos Políticos perseguirão Você;
mas, como eu ia dizendo,
Mercúrio está favorável em Capricórnio,
neste 23 de Janeiro de 1999,
e eu tenho de aproveitar as boas vibrações de Mercúrio Veloz da Astrologia Antiga e Moderna também,
para trabalhar trabalhar e muito dinheiro ganhar;
mas hoje é Sábado e a Cidade descansa,
vai descansar no Domingo o meu Bem,
e eu não poderei me valer de Mercúrio Veloz Falador,
sou professora horista e não trabalho aos sábados, meu Amor!,
mesmo assim, vou me aproveitar de Mercúrio Intrigante,
não estarei tão falante quomo de costume,
Mercúrio em Capricórnio me deixa acanhada,
graças a Deus!, no Dia 27 de Janeiro de 1999, ele estará radiante em Aquário Anelante!,
e eu também estarei animada e avoada,
as Palavras Aladas me conduzirão a um Futuro Absolutamente Sem Muro,
usarei a minha Linguagem de Filiação Sumeriana, difícil e engrumada,
entrarei na Carruagem Dourada do Tempo Incontido Quase Interdito dos Pensamentos Fervilhantes em direção ao Porvir,
conversarei animada com os habitantes de lá,
conhecerei as Cidades Antigas Flutuantes dos Desaparecidos Atlantes,
descobrirei seus segredos incríveis e mirabolantes e et cœtera e tal;
mas, como eu ia dizendo,
retomando este Fio Enrolado de Ariadne Aracnídea Teceloa de Sonhos Impossíveis Dantanho Para o Brasil Varonil,
neste 23 de Janeiro de 1999,
Júpiter e Netuno também velam por mim;
a Lua está momentaneamente em Áries, reforçando os meus loucos desejos de aventura e paixão,
e eu vou sair por aí à procura do tal Supra-Homem Ideal,
neste Dia 29 de Janeiro de 1999, etc e tal,
esbarrarei com ele a qualquer momento numa das Esquinas das Inúmeras Ruas Brilhantes da Cidade Fatal,
o Rio é a Cidade do Amor Sedutor,
é a Cidade da Paixão, meu Varrão do Século Seguinte em questão!,
o Rio é a Cidade dos Amantes Divinos;
São Paulo só serve para quem almeja ganhar dinheiro e mandar no Brasil,
só serve pra quem quer ganhar dólares e enricar no Brasil;
New York só serve para brasileiro cheiroso fazer compras e muito dinheiro brasileiro gastar;
os poucos muito ricos cheirosos do Brasil Varonil,
neste Anno Insano de 1999,
fazem compras gigantes em New York e Paris,
entram em seus jatinhos bonitinhos e vão para New York,
almoçam no Rio de Janeiro ou em São Paulo e jantam em New York,
a Grande Cidade Blindada da América do Norte;
mas, como eu ia dizendo,
vou sair por aí,
vou a Copacabana Bacana, ao Posto 4, na praia,
neste 23 de Janeiro de 1999,
assistir ao Show da Banda Roqueira do João,
baterista de uma Banda de Música agitada, vibrante...

sábado, 23 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA COM SORTE DO FINAL BRASILEIRO DO SÉCULO XX SEM SORTE - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA COM SORTE DO FINAL BRASILEIRO DO SÉCULO XX SEM SORTE - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO TERCEIRO CANTO - 1

... mas, como eu ia dizendo,
neste Anno Insano de 1999,
a Sorte estava a meu alcance num lance,
segundo os Incríveis Magos Adivinhos do Século XX Final,
no entanto, a Sorte Grande passou bem longe de mim,
insensata que sou,
simplesmente não atendi ao Oráculo do Dia 22 de Janeiro de 1999,
não joguei um centavo sequer, não Senhor!,
não saí da Casa Rosada em Busca da Sorte Encantada do Amor,
mas sou uma Sagitariana Veirona pra lá de sortuda,
a Sorte por certo virá para mim,
não preciso jogar para ter Sorte na Vida,
tenho a Sorte de possuir um Mundo de Sonhos Poéticos,
de sair por aí sem destino,
sem Aeroporto Seguro,
sem Pouso,
sem Dogmas,
Viajando Feliz n’uma Epo-Ficcional Aeronave Brilhante,
tenho a Sorte de ter nascido com Sorte,
pois, na hora do meu nascimento, os deuses de Hammurabi Sétimo da Antiga Babilônia e um Deva Mineiro Magrinho e de Óculos pronunciaram meu nome,
vai Doña Odisséia Maria Felix das Horas Felizes ser musa de poeta,
vai dizer ao teu poeta Agustín, te quiero, te quiero, te quiero,
solo tu és o amor de mis amores,
e o divino Agustín do Passado Dourado mirando mis ojos,
diciendo tener ganas de un beso mio,
Agustin, dime si me quieres!,
ya non me acuerdo de ti, Agustin!,
usted nasció em Setembro de 1900
e eu nasci em Novembro de Meados do Século XX,
numa linda madrugada mineira’altaneira,
quando a Aurora dos dedos de rosa apontava no Horizonte Acima do Monte de Nossa Senhora da Conceição,
com as Três Parcas Tias Bondosas do Século XX
tecendo meu destino sem tino circunspecto,
um destino diferente, é verdade!,
de muitas Aventuras Incríveis, reais e imaginárias;
as Parcas Solteironas desta minha narrativa são todas bondosas!,
as Parcas Antigas de Minas Gerais;
Cloto, Láquesis e Átropos eram parcas malvadas de Antigas Eras Assinaladas,
elas fiavam, dobavam e cortavam o fio da vida;
mas, como eu ia dizendo,
o Agustin do Passado Mexicano Distante
preenchendo meu instante de paixão e amor,
com seu canto mavioso e mui sedutor,
eternamente gravado num disco de vinil,
depois o disco antiquado foi repassado para um Compact Disc Actual Sem-Igual,
totalmente recuperado por Técnicas Americanas-do-Norte
do Final do Século XX Anormal,
resgatando totalmente a voz do Cantor Sedutor;
no entanto, Agustin, você não é meu único Amor,
Doña Maria Felix do Acapulco Monte Mineiro é uma mulher infiel,
ela beija todos os actores de filmes americanos,
digo, eu beijo todos os atores americanos do norte e do sul,
sonho sempre que sou a mulher do mocinho,
sou uma actriz de cinema beijando John Wayne às margens do Rio Vermelho de Sangre ou Rio Bravo do Agravo Tão Parvo,
não me lembro bem!,
e sou também a Odisséia Mineira do Leste Brasileiro-Mineiro,
uma Odisséia extenuada e cansada das Guerrinhas Inglórias do Final do Milênio de Peixes Falastrão,
amante ficcional do maior poeta da América Hispânica do Sul,
aquele deiforme caleidoscópio desbravador sentimental
da Cordilheira dos Andes,
seduzindo e amando as chicas de lá,
amanhã viajará o Tal pelo Mar do Caribe em um Magnífico e Invejável e Suntuoso Navio Fantasma,
acompanhando amigável o divo Gabriel das Narrativas Insólitas;
pois no jogo da paixão eu saio sempre na frente, meu Irmão!,
meu Irmão Brasileiro do Brasileiro Futuro Brilhantão!,
eu sonho com o meu poeta latino flutuando no espaço,
um deus caipira empunhando sua lança de guerra,
conquistando as meninas e velhas do Rio,
parolando e encantando as balzaquianas de acá,
andando pelas calçadas de Ipanema Fermosa,
bebendo cachaça e catuaba nos botecos do Rio,
perseguindo as ninfas da Baía de Guanabara Sagrada,
à noite retorna para o Olimpo Infinito dos Imortais Criadores
do Mundo das Letras Maiores,
andando nas Trilhas Inóspitas do Mundo Pralá de Profundo,
do Mundo Amorfo,
Mundo Sem-Forma, quero dizer,
buscando sempre a palavra primeira,
a palavra-primeira ainda não-pronunciada,
a palavra impronunciada...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO MUNDO REAL DO SEGUNDO MILÊNIO ANORMAL DO BRASIL SEM-IGUAL - 1998 / 1999


ODISSÉIA MARIA DO MUNDO REAL DO SEGUNDO MILÊNIO ANORMAL DO BRASIL SEM-IGUAL - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUARTO CANTO - 6


... os Escritores-Pensadores do Mundo Profundo souberam registrar suas épocas,
e escreveram sobre tudo o que ouviram e viram e sentiram,
e deixaram para os Pósteros documentos preciosos,
documentos reveladores quomodo eram seus mundos de então;
dês Homero e Hesíodo o Mundo mudou, meu Amor!,
meu Querido Leitor do Brasileiro Futuro Terceiro Milênio Sem Dor!,
em cada época, a História Geral nos mostra um Mundo diferente,
normal ou anormal,
os poetas e narradores, escritores e tais,
mesmo criando mundos ficcionais sem-iguais,
denunciam as mazelas de seu Mundo Vital,
mostram quomodo foi realmente o seu Mundo Real;
assim, neste Anno de 1999 do Final do Segundo Milênio Algoz,
eu Viajo no Tal Ficcional Avião Supersônico Praláde Veloz,
ele voa e voa através dos tempos da Terrível Seca Brasileira do Anno Assinalado-1999,
vou passando e voando sobre Antigas Cidades do Desmando Patriarcal do Brasil Varonil...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO PLANO DO ESPÍRITO UNIVERSAL PARA O TERCEIRO MILÊNIO LEGAL DO BRASIL SEM-IGUAL - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO PLANO DO ESPÍRITO UNIVERSAL PARA O TERCEIRO MILÊNIO LEGAL DO BRASIL SEM-IGUAL - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUARTO CANTO - 5

... o Plano do Espírito Santo está próximo de nós,
neste Anno Insano de 1999,
mas não o alcançaremos oimais, meu Rapaz!,
não Senhor!...
Será?!!!...,
apenas sentimos sua proximidade,
intuímos o que se passa do lado de lá;
o Plano Vital é bem diferente da Dimensão Espiritual,
por isso custei a entender o meu amor Bachelard;
a Era Moderna nos legou o Progresso,
nos brindou com o Desequilíbrio Existencial,
o Desequilíbrio e o Caos,
o Desequilíbrio do Homem começou nos Annos Quinhentos do Segundo Milênio Agitado,
meu Equilibrado Leitor do Terceiro Milênio Dourado!,
começou no Século XVI;
eu, por exemplo, que sou o mais desconcertado dos seres que passaram pelo Mundo Rotundo e pelo Mundo Profundo
e não sei consertar esta minha Viagem Sonhada;
não sei concertar esta minha Viagem Encantada,
digo, não sei consertar concertando esta minha Viagem Intrincada;
mas, como eu ia dizendo,
tudo isto, aprendi e apreendi em minhas peregrinações noturnas,
lendo os grandes escritores,
os magistrais intérpretes de suas épocas legais,
por isto registro tudo aquilo que vejo e sinto do certo e do errado
e analiso e interpreto o que vejo e sinto nestas desorientadas palavras aladas,
a minha época é belicosa,
é danosa,
ingloriosa,
não é brincadeira não, meu Irmão,
meu Leitor do Terceiro Milênio Cristão!,
o Caos Imoral impera no meu Mundo Actual do Segundo Milênio Final,
o meu Século XX é um Século de Guerras Desenfreadas,
é irmão contra irmão,
pai contra filho e filho contra pai;
mas, como eu ia dizendo,
aprendi tudo isto lendo os maiores escritores desse mundo de Deus dos Hebreus e também dos Cristãos...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DOS VERDADEIROS VALORES MINEIROS DO FINAL DO SÉCULO XX LEGAL DA FILOSOFIA AMERICANA-FRANCESA IMPERIAL NO BRASIL SEM-IGUAL - 1998/1999

ODISSÉIA MARIA DOS VERDADEIROS VALORES MINEIROS DO FINAL DO SÉCULO XX LEGAL DA FILOSOFIA AMERICANA-FRANCESA IMPERIAL NO BRASIL SEM-IGUAL - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUARTO CANTO - 4


... mas, co'modo eu ia dizendo,
nascida em Carangola de Minas Gerais,
amando e adorando o Rio de Janeiro,
a Cidade Maravilhosa do meu Brasil Altaneiro,
mas sem nunca deixar de amar minha Terra de Origem,
sem nunca abandonar os Verdadeiros Valores Mineiros-Franceses dos Annos Cinquenta,
trazendo comigo os Valores do Campo,
respeitando os Mais Velhos,
respeitando os Humildes Brasileiros Sem-Pão;
não sou melhor do que ninguém, não! não Senhor!,
mesmo reconhecendo as Benções dos Santos do Amor do Sertão recebidas ao nascer,
pois, na hora do meu nascimento,
os deuses de Hammurabi Babilônico
e um deva mineiro magrinho e de óculos
da Cidade de Pedra de Minas Gerais
pronunciaram meu nome,
vá, Circe Irinéia Odisséia Maria dos Ficcionais Épicos e Poéticos Sonhos de Glórias para o Brasil Varonil Viajar pelo Mundo Profundo e Rotundo,
vá conhecer um certo Filósofo Francês-Camponês dos Campos Vinículos da França dos Reis,
um Veiroto Filósofo Francês Nascido no Campo da França dos Reis,
vá conhecer o Barbudo Filósofo Com Muita Honra e Glória Camponês,
aquele que soube, quomodo ninguém!, defender O Direito de Sonhar neste Mundo Profundo e também no Rotundo,
vá Odisséia Maria da Cidade Portuguesa de Sousa Grieco & Romanus amar Bachelard,
suba com ele os Cogitos Superpostos dos Pensamentos Maiores,
não ligue jamais para as Redundâncias Vocabulares da Incontrolada e Mal-Amada Língua Brasilesa-Portuguesa Actualmente Servil Neste Anno Insano de 1999,
as Brasileiras Discursivas Redundâncias Vocabulares neste Final de Segundo Milênio-1999 abrilhantam, acredite!, as Esfarrapadas Estampas dos Diplomas Legais dos doutores que se dizem altaneiros do Brasil Varonil Sem Dinheiro,
em um Anno Distante Servil de 1999;
não procure nunca um benday para a Arte Final Sombreada dos seus Casos de Amor,
óh! Odisséia Maria!,
viaje com o Gaston Bachelard até ao cogito três,
pronuncia-se cógito, Leitor!, a palavra em questão,
meu Amigo Leitor do Brasileiro Terceiro Milênio Acolá Tão Rico e Tão Culto!,
é de origem latina a palavra!,
procure no Dicionário do Holandês Aurelião, meu Irmão!, e Você saberá,
Você saberá o significado correto da palavra em questão;
mas, como eu ia dizendo, o deva mineiro magrinho e os deuses antigos gordinhos disseram,
vá Odisséia Guerreira Sagitariana Praláde Sortuda Amar o Gaston,
viaje com ele até ao cogito três,
Plano Inter-Lacunar do Tempo do Profundo Pensamento Rotundo alcançado apenas pelos pensadores-eleitos;
aqueles sábios indivíduos que buscaram a Dimensão do Espírito Santo Brasileiro de Então,
o Tempo Espiritual, quero dizer!,
mas souberam de antemão que não alcançariam jamais,
quero dizer!, o Plano do Espírito Religioso que está fora do Plano Vital,
aquele que está Próximo do Tempo do Pensamento Real,
mas com plena certeza Bem Fora do Plano Vital;
o Tempo Espiritual não pertence ao Vital, Amaral!;
mas, atenção!, não esquente a sua cabecinha, meu Irmão do Brasileiro Futuro Sem-Muro!,
óh! meu Leitor Amigão do Terceiro Milênio Cristão e Seguintes!,
eu mesma Odisséia Maria dos Pobrinhos Brasileiros Sem o Money Real do Brasil Varonil-1999 custei a entender o meu Grande Amor Bachelard dos Cogitares Mil,
o Plano do Espírito Santo está próximo de nós,
neste Anno Insano de 1999,
mas não o alcançaremos oimais, meu Rapaz!, não Senhor!...
Será?!!!...

domingo, 17 de outubro de 2010

PARA O BRASILEIRO DO SÉCULO XXI NUNCA ESQUECER QUE HOUVE NO SÉCULO XX UM BRASIL-TERCEIRO MUNDO


PARA O BRASILEIRO DO SÉCULO XXI NUNCA ESQUECER QUE HOUVE NO SÉCULO XX UM BRASIL TERCEIRO MUNDO


NEUZA MACHADO




PARA O POVÃO BRASILEIRO REFLETIR E O RICO BRASILEIRO TAMBÉM




Para o Brasileiro Consciente do Brasil-País do Futuro lembrar-se sempre que existiu um Brasil-Tristes Trópicos até o Final do Século XX





AGRADECIMENTOS
AOS QUE VERDADEIRAMENTE LUTARAM E SE SACRIFICARAM POR UM BRASIL SEM AMARRAS EM NOSSO POLÍTICO PASSADO TUMULTUADO




Ver o Vídeo (http://www.youyube.com/) com a música “Pra não dizer que não falei das flores” de Geraldo Vandré na incomparável voz de Zé Ramalho: http://caffecomlitteratura.blogspot.com/


PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES

Composição: Geraldo Vandré


Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer... (2x)

Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer... (2x)

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição:
De morrer pela pátria
E viver sem razão...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer... (2x)

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não...

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição...

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer... (4x)

Pra Não Dizer Que Nao Falei Das Flores

sábado, 16 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL ASSINALADO NO FINAL DO SÉCULO XX DO TRABALHO MAL-REMUNERADO - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL ASSINALADO NO FINAL DO SÉCULO XX DO TRABALHO MAL-REMUNERADO - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUARTO CANTO - 3

... naquele Dia Prescrito
ou Assinalado no Tempo Suspenso Entre o Antes e o Porvir,
com a Vênus Madrinha da Sexta Casa do Trabalho Mal-Remunerado Retrógrada em Escorpião,
ela me salvou de um destino amoroso meio aloucado,
mas também me prejudicou horrores,
saiba Você do Brasileiro Futuro Sem-Muro do Início do Terceiro Milênio!,
Vênus Bella Assanhada estava andando para trás!,
não me premiou com Líricos Amores com Mocinhos Românticos na juventude!;
veja só!,
estou aqui a me queixar de Vênus Madrinha do Trabalho Mal-Remunerado!,
queria que ela fosse a Madrinha da Astral Casa Cinco do Amor Sem-Igual!
estou aqui a reclamar de Vênus Afrodite de Traços Perfeitos!;
saiba Vosmicê do Futuro Brasileiro Sem-Muro do Terceiro Milênio
que Vênus Amorosa dos Grandes Casos Sentimentais Sem-Iguais nunca me faltou, não Senhor!,
estou agora vivendo o Início do Anno de 1999,
os Annos passam e eu continuo recebendo amor!;
no entanto, quomodo Viajante Sagitariana neste Mundo Rotundo e Profundo,
de acordo com os novos e interessantes vaticínios do mundo hodierno,
já distantes dos Terríveis Oráculos do Destino Pagão,
nem sempre retribuo com a mesma moeda e paixão;
mas vou levando a vida com muito jeito,
se hoje não tem, amanhã deusdará,
deusdará neste Início de 1999 de Acá o que me faltar!,
mas vou levando a vida com muito cuidado,
solitariamente fechada em meu Casulo de Bicho da Seda Tijucano;
de qualquer modo, com Júpiter e Mercúrio em Escorpião,
no meu Mapa Astral de nascimento,
os dois neste Início de 1999 estão em Escorpião,
o meu signo ascendente de proteção,
ou será Sagitário?,
Escorpião no ascendente me faz pensar duas vezes,
de vez em quando refreia e embonda pra valer o meu entusiasmo sagitariano,
mas o grande barato mesmo foi nascer com Urano Onomatomante em Gêmeos Falante,
minha romântica Casa Sete do Casamento no Horóscopo Solar e Casa Oito no mapa do Ascendente;
eu tenho mania de onomatomania,
possuo uma preocupação obsessiva e doentia com a escolha de palavras aladas,
estou vivendo a última fase do período pós-cambriano,
iniciado há milênios na Antiquíssima Câmbria,
penso que estamos vivendo um algonquianismo meio às avessas,
a vida amorosa está se extinguindo na Terra per culpa das próprias ações insensatas dos homens;
pratico também a onomatomancia,
adivinhação fundada no nome da pessoa impressionável;
às vezes, pratico também a nefelomancia,
invadindo os domínios de Zeus-Júpiter que as nuvens cumula,
durante as minhas epo-ficcionais viagens de Avião Supersônico,
aeronave brilhante, espacial,
viajando sem rumo pela Galáxia Estelar;
assim meus Sonhados Amores foram todos estranhíssimos,
uma grande atração por gente estrangeira,
ouvindo palavras de amor em língua enrolada,
até mesmo palavras de amor em língua tibetana
pronunciadas per aquele jovem tibetano que poderia, ai, Jesus!, ser meu filho,
a quem ensinei em dois meses a falar português-brasilês,
e ensinou-me o caminho da verdadeira felicidade búdica na Terra,
e os librianos estrangeiros residentes no Brasil Varonil!,
sem falar nos virginianos estrangeiros e brasileiros que me cercam loucamente,
exigindo qu’eu seja ordeira e certinha,
criticando abertamente o meu modo de viver,
e os ciúmes dos gentis cancerianos?,
os cancerianos querendo cortar meu barato,
querendo cortar as minhas asas rosadas,
minha alegria de viver, quero dizer,
mas o meu íntimo sagitariano das viagens impossíveis exige liberdade,
quero o meu cavalo bem solto no Mundo Profundo das Idéias Maiores,
não quero saber de amarras reforçadas não, meu Irmão!,
odeio o ciúme e a inquietação no amor!,
principalmente no Amor Cinquentão!,
não quero ninguém pegando em meu pé,
ninguém pegando em meu pé pra valer;
é verdade!, quero muito amar, ser amada,
eu quero, sim Senhor!,
quero ser amada até ao fim de meus dias na terra,
chegar aos cem anos amando loucamente,
ensinando ao amado as regras do bem viver,
ele na casa dele e eu em minha casa,
de vez em quando um aconchego de amor,
sou de carne e osso também,
Deus me livre e guarde dos aproveitadores!;
Deus, me proteja dos sugadores de amor!,
bom Deus!, afaste de mim os maiores abandonados,
neste Início de Anno Insano de 1999!,
esses homens-morcegos chupadores do sangue e do pouco dinheiro de uma idosa mulher de cinquenta e uns annos!,
eles merecem receber uma surra de toalha molhada à moda nordestina da mulher do político brasileiro do final dos annos noventa,
pra reconhecerem o Valor Sem-Igual da Mulher Brasileira...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL ADORADO NO FINAL DO SÉCULO XX ENFORCADO - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL ADORADO NO FINAL DO SÉCULO XX ENFORCADO - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUARTO CANTO - 2


... Você ainda não nasceu,
e eu estou por aqui,
neste Início de Anno Insano de 1999,
meu Querido Netinho Brasileiro do Século XXI!,
triste e preocupada por ver o meu Brasil Adorado
totalmente Enforcado
nas Malhas Enroladas do FMI
neste Início Insano do Século XX-1999,
mesmo assim, Amorzinho!,
guarde bem as minhas Palavras Aladas,
somente os Iluminados Eleitos Testemunham as Grandes e Invencíveis Mudanças!;
eu fui Abençoada e Assinalada e Iluminada na hora de meu nascimento, acredite!,
um deva mineiro, um brilhante poeta, instalado em um Espaço de Luz,
entre os seres divinos e os pobres mortais,
um deva mineiro magrinho careca e de óculos sussurrou de longe,
lááá em Diamantina de Minas Gerais,
e o sussurro dele chegou até aos meus ouvidos de recém-nascida,
“Vá, Odisséia Maria Ulissiponense da Grandiosa Selva Mineira-Greco-Romana-Portuguesa-Espanhola-Francesa-Africana- Japonesa-Brasilana-Carangolana,
vá apreciar os Incomuns Acontecimentos do Mundo Profundo!”,
vá procurar, entre as Íngremes Montanhas do Oiro de Nossa Terra Natal,
um Sumetume Iluminado e Arejado
para Vosmecê se evadir das Normas Severas
de seus Ancestrais e do Mundo Real, Tããão Irreal!,
para Você Viajar Odisséia!
pelo Espaço Estelar
numa Aeronave de Cores Rosadas Azuladas Argentadas e Douradas,
de Mil Matizes Multicolores,
e isto aconteceu em uma madrugada de Segunda-Feira,
no Mês de Novembro do Segundo Milênio,
com o Sol a 3º (três graus) de Sagitário,
o Nono Signo do Zodíaco Ocidental,
quando o Doiradíssimo Sol Hipermineiro
apontava no Belo Horizonte Faceiro de Minha Terra Natal,
com seus magníficos raios luminosos,
quando a aurora fermosa com seus dedos de rosa surgiu matutina
e o Centauro Quirón Amadeus,
um Velho Habitante das Serras Diamantes of Hinterland de Minas Gerais,
se preparava para percorrer seus vastos domínios,
atirando flechas brilhantes ao Acaso
ou a direção ao Infinito Sem-Fim;
mas, quomodo eu ia dizendo,
somente os Assinalados Abençoados reconhecem os Importantes Grandes Momentos da Humanidade,
oh, maravilha!,
estou incluída entre esses Poucos Ditosos!,
não fui esquecida na hora do meu nascimento, não!,
mesmo nascendo nas Brenhas do Grande Sertão,
nas Serras Of Hinterland de Minas Gerais, óh! meu Rapaz!,
meu Rapaz do Terceiro Milênio da Paz!,
em uma Pequenina Cidade de Minas Gerais,
melhor dizendo, em Santa Luzia do Carangola,
uma Velha Cidade da Época do Esplendor do Café,
proprietária de um velho tupi yekiti’bá centenário,
centenário é pouco para valorizar o rosa yekiti’bá em questão,
talvez ele já exista desde a descoberta do Brasil Varonil,
uns Quinhentos ou Quatrocentos Annos para o jekiti’bá orgulhoso
de minha Terra Natal,
um jequitibá gigantesco,
ele resistiu a um incêndio sem-igual,
incêndio provocado per algum maluco descuidado,
quase acabando com o jequitibá-rosa de quatrocentos anos, Amor!,
mas o Povo da Terra lutou pelo jequitibá varonil,
salvaram o jequitibá glorioso,
o precioso patrimônio do meu povo tradicional,
patrimônio afetivo daquela cidadezinha campestre,
incrustada num Alto de Serra Of Hinterland da Zona da Mata Mineira Guerreira,
Cidade amada idolatrada e adorada por mim;
mas, como eu ia dizendo,
viajo pelo interior de mim mesma buscando recordar-me dos justos valores que nortearam a minha vida aqui nesta Terra de Deus Protector,
dês aquele Longínquo Novembro, Segunda-feira,
quando o Sol hipercarangolense iniciava a sua visita ao signo de Sagitário Cordial Vagamundo,
no Criador Espaço Vazio Bashôniano entre a Noite e o Dia,
quando a aurora fermosa com seus dedos de rosa surgiu matutina,
3º de Sagitário, ascendente em Escorpião ou Sagitário, não sei! Não!,
descubra aí no seu Futuro Sem-Muro Praláde Cristão!,
aplacando a sua Infinita Curiosidade,
óh! Leitor Esotérico do Século XXI e Seguintes!,
sabendo alicantinosamente que esse Leitor do Futuro do Brasil Varonil estará interessado nesta minha Viagem Grumosa e Enrolada,
Vossa Mercê do Brasileiro Futuro Sem-Muro compreenderá e julgará os encontros e desencontros de uma Mulher de Cinquenta,
Sumaca Antiquada dos Mares Revoltosos do Século XX Final Sem Carne e Sem Pão Para os Brasileiros Pobrinhos Cristãos,
no Final do Segundo Milênio de Peixes Brigão,
não s’esqueça das Datas, Irmão!,
Vosmecê sentirá curiosidade em relação a esse meu Período de Tempo vivido aqui nesta Terra de Deus Protector,
em um Momento Brasileiro do Século XX-1999 Muito Conturbado e Belicoso... Horroroso!...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL MUITO AMADO NO FINAL DO SÉCULO XX ENCRENCADO - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL MUITO AMADO NO FINAL DO SÉCULO XX ENCRENCADO - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUARTO CANTO - 1


... mas, como eu ia contando,
só Alegrias Valem Lembranças!,
hoje, 27 de Janeiro de 1999,
Penúltimo Anno do Século XX
e Penúltimo Anno do Milênio de Peixes Aluado,
Segundo Milênio de Peixes Fora de Órbita, Irritado!,
um Segundo Milênio de Peixes Enjoado!,
e eu Estou Esperando Extasiada o Grande Momento,
o Momento de Passagem Para o Terceiro Milênio Brasileiro Mui Rico e Dourado,
sem acreditar em tamanha Sorte, meu Deus!,
Apenas os Abençoados Assinalados Testemunham as Grandes Passagens do Mundo Rotundo e Profundo,
e eu sou uma Assinalada, meu Deus!,
e esta será uma Passagem Sem-Igual, Sensacional,
e eu estarei viva, se Deus quiser!,
daqui a Dois Annos,
de 2000 para 2001 presenciarei a Passagem do Segundo Milênio de Peixes Praláde Emotivo e Brigão e Sem Pão
para o Milênio de Aquário da Paz no Mundão,
porém com Muita Carne e Pão de Montão
para o Pobrinho Brasileiro Cristão,
e verei os Fogos de Artifício no Céu do Brasil Varonil,
no Final do Anno Insano do Próximo 2000,
e presenciarei o Grande Espectáculo da Terra
do Alto de um Edifício de Oitenta Andares,
na Megalópole Mais Linda do Incrível Universo-Sem-Fim,
o Mundo Todo e o Brasil Também
celebrando a Passagem Esperada,
Feliz da Vida!,
a Profecia de Nostradamus não se realizou,
as Inúmeras Profecias Apócrifas não se realizaram,
oh! Meu Irmão do Terceiro Milênio Cristão!,
não se realizarão, graças a Deus!,
o Mundo Rotundo girando girando girando em volta do Sol Apolíneo,
o Mundo Rotundo continuará gira girando em volta do Sol Multicor,
o Planeta Terra Brasil resistirá às Intempéries,
aos Meteoritos Caindo do Céu,
continuará resistindo ao Desleixo do Próprio Homem,
o Homem do Século XX não cuida com Carinho de sua Morada;
mas, como eu ia dizendo,
só os Eleitos Testemunham as Grandes Mudanças do Mundo,
e eu me sinto quomodo um Ser Assinalado;
quomo, como, quomodo Você quiser!;
somente os Privilegiados Testemunham as Grandes Ocorrências do Mundo Rotundo e Profundo;
Ser Privilegiado sou eu!,
estou aqui, neste Dia 27 de Janeiro de 1999, permanente, atemporal, alicantinosa, ficcional,
agora, 27 de Janeiro de 1999,
Viajando em um Avião Trans-Imaginário Supersônico Veloz,
Descrevendo Influente o Momento Enrolado de Uma Guerreira Mulher no Final do Segundo Milênio de Peixes,
ao mesmo tempo, estou conversando com Você do Futuro Sem-Muro,
a Mostrar-lhe um Brasil Bel Nação no Terceiro Milênio Cristão...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL SEM CARNE E SEM PÃO NO FINAL DO SÉCULO XX CRISTÃO - 1998 / 1999


ODISSÉIA MARIA DO BRASIL SEM CARNE E SEM PÃO NO FINAL DO SÉCULO XX CRISTÃO - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUINTO CANTO - 3


... quomodo estou a contar,
até os ossos de animais comestíveis são comercializados no Mundo Brasileiro Global,
neste Final de Segundo Milênio Enrolão,
ou se Vocês do Futuro Sem-Muro quiserem,
neste Anno de 1999 Sem Carne e Sem Pão
para o Brasilerim Pobrezinho Cristão,
os ossos de animais comestíveis se transformam em farinha super-vitaminada,
os ossos de animais comestíveis têm muito cálcio para fortificar os ossos dos Filhinhos Riquinhos dos homens ricaços,
a farinha de ossos de animais comestíveis,
neste Final de Segundo Milênio Enrolão,
1999, se Você do Futuro faz questão das Datas Reveladoras!,
vai mesmo é para a mesa do rico brasileiro com muito dinheiro,
agora, neste Início de Anno de 1999,
só os Filhos dos ricos do Brasil Varonil comem farinha vitaminada de ossos de animais comestíveis,
o pobre Brasilerim Tão Magrim não tem direito à farinha de ossos no Brasil Varonil,
neste Anno Insano de 1999,
a farinha de ossos de animais comestíveis é um alimento caríssimo,
neste Anno Insano de 1999,
a farinha de ossos de animais comestíveis tem muito cálcio, é saudável,
misturada no leite é um alimento mui valioso,
por isto, neste Anno Insano de 1999 nem mesmo os ossos sobraram para os pobrinhos terráqueos brasileiros sem-eira-nem-beira,
neste Anno Insano de 1999;
as pelancas de carne antigamente,
num Brasil do Passado,
nada valiam,
hoje valem muito dinheiro!;
tudo agora é vendido na Terra do Ão,
a actual proprietária do Grande Sertão!,
neste Anno Insano de 1999 do Calendário Cristão;
as sobras de carne,
em um Distante Passado Praláde Finado do Brasil Varonil,
eram distribuídas aos muuuuuutos brasileiros mendigos da rua;
agora, nestes Tempos Insanos dos Annos Noventa,
as sobrinhas de carne,
dos Pouquíssimos Grandes Mercados do Brasil Varonil,
são salgadas e ensacadas em bellíssimas embalagens atraentes,
atraem os Fregueses Ricões,
perdão!, os Clientes Com Muito Dinheiro no Bolso’Alargado,
os Clientes dos Poucos Grandes Maravilhosos Hipermercados,
imensas megalojas de arrepiar os cabelos,
as ditas pelanquinhas de carne são vendidas para o Hiper Endinheirado Consumidor,
o Consumidor Muito Rico, Leitor!;
os pedacinhos de sobras de carne de porco ou de boi ou de cavalo,
salgadas e ensacadas,
agora, neste Anno Insano de 1999,
vão para a mesa do Sabido Ricão Cheirosão,
os Ricos Brasileiros de 1999 não deixam nada para o Pobre, não!,
os Poucos Muito Ricos Brasileiros,
neste Anno Insano de 1999,
compram pedacinhos de sobras de carne salgada,
sobras bem embaladas,
embalagens vistosas,
sobras de carne salgada para a feijoada
ou para colocar na Sopa Global do Domingão do Faustão;
neste Anno Insano de 1999 é chique comprar sobras de carne salgada,
eu vi, meu Irmão!,
meu Assustado Leitor do Futuro Brasileiro Replecto de Amor!,
nem as sobras sobram mais para o trabalhador sofredor,
neste Brasileiro Final de Segundo Milênio da Dor,
aquele trabalha, trabalha, trabalha,
um outro trabalhou, trabalhou trabalhou e se aposentou,
mas ainda é chamado de Vagabundo, que horror!,
nem as sobrinhas de carne salgada o aposentado brasileiro pode comprar, meu Leitor!;
neste Anno Insano de 1999
é chique comprar sobrinhas de carne bellamente ensacadas
nos Hipermercados Brasileiros Altaneiros,
enquanto isto, neste Anno Insano de 1999,
o dinheiro sobra no Banco dos Grandes Onzeneiros e Milhardeiros e Bilhardeiros e Mega Megabilionários do Reino da Ilusão e do Ão,
o dinheiro do Rico Onzeneiro, quero dizer, Leitor!,
mas, cadê o dinheirão! Doctor!;
as sobras de carne de animais comestíveis, salgadas,
se transformaram em comida de Rico Brasileiro da Classe Média,
neste Final de Século XX do Segundo Milênio Famigerado Sem Pão,
os Mestres-Cucas da Televisão Mundial e do Brasil Varonil que o digam;
não mais se oferecem sobras de comida aos milhares e milhares e milhares de desamparados Nordestinos Brasileiros Famélicos,
ou mesmo de Todos os Desamparados do Brasil Varonil;
neste Final de Século XX do Segundo Milênio Ante-Cristão,
tudo se aproveita,
óh! meu Irmão do Futuro Sem-Muro!,
para o dinheiro do rico render e render e render;
neste Anno de 1999 Enrolão não se reparte mais o pão consagrado e o vinho abençoado na Terra do Ão...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL SEM TOSTÃO NO FINAL DO SÉCULO XX CRISTÃO - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO BRASIL SEM TOSTÃO NO FINAL DO SÉCULO XX CRISTÃO - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUINTO CANTO - 2


... neste Início de Anno de 1999,
o Povão Infeliz do Brasileiro Sertão
está morrendo de Fome
na Seca Inclemente do Brasil Sem Tostão;
nesta Fase Final do Segundo Milênio Praláde Sem Sal,
neste Quase-Extinto Século XX Anormal,
o Brasileiro da Seca espera o Sertão virar mar
ao Longo do Anno de 1999 Sem Ar,
quero dizer, sem Ar Venturoso;
os saborosos peixes do Marzão Grandalhão
invadindo o Sertão
no Século XXI do Terceiro Milênio Cristão;
se o Sertão virar mar,
a Negra Fome Avassaladora de Milhões e Milhões e Milhões de Brasileirins Bem Pobrins Desnutridos Magrins acabará
ao Longo do Anno de 1999,
o Pobre Brasileiro Coitado Sem Osso Ralado para comer;
mas o Pobrim Coitadim do Brasil Varonil
terá peixe em perene abundância na refeição,
e isto acontecerá no Próximo Terceiro Milênio Cristão;
no Próximo Terceiro Milênio Cristão
a água salgada matará a sede terrível dos Sertanejos Altaneiros
do Novo Sertão Brasileiro;
o Grande Sertanejo Praláde Inteligente
transformará a água salgada em água doce tratada
no Terceiro Milênio Vindouro do Muito brilho de Luz
e Muito Doirado Oiro Que Reluz,
Você verá!, meu Rapaz!,
o Inteligente Sertanejo Altaneiro
do Início do Terceiro Milênio Cristão
descobrirá com certeza uma engenhoca pós-moderna
para retirar o sal da Água Encantada do Mar do Sertão,
fará a água salgada se tornar água doce bebível,
Você verá!, meu Irmão!;
com muita certa certeza,
o Incomum Sertanejo Brasileiro
deste Anno Sem Pão e Sem Água Potável no Enferrujado Latão,
neste Anno de 1999 está a esperar paciente o religioso maná,
o maná da Bíblia Sagrada de Lá e de Acá
cairá do Alto do Céu do Brasil Varonil
quando a Seca Inclemente chegar;
porém, maná que é maná,
neste Início de Anno de 1999,
por enquanto, não existe acá no Reino do Ão,
ainda não!, não Senhor!,
se existir maná,
neste Anno Insano de 1999,
o riquinho cheiroso o venderá,
um cheiroso rico qualquer registrará
o bíblico maná do Brasileiro Sertão Nordestino,
ao longo do Anno Insano de 1999,
e fará com que o maná seja de sua propriedade real
e venderá o maná aos Pobres Coitados de lá...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO IMAGINÁRIO AVIÃO SUPERSÔNICO DO FINAL DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO IMAGINÁRIO AVIÃO SUPERSÔNICO DO FINAL DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO QUINTO CANTO - 1


... mas, como eu ia dizendo,
neste Início do Anno de 1999,
viajo agora em meu Imaginário Avião Supersônico
fabricado na Cidade Maravilhosa e Fermosa dos Cariocas Intrépidos,
quebrando as Barreiras Genéricas da Linear Narrativa Ordenada,
para a Invasão de Um Novo Mundo Espiralado e Profundo
no Terceiro Milênio da Era de Aquário da Paz;
um Avião Supersônico pra lá de arretado,
voando e voando e voando através dos Tempos,
vou passando e voando sobre Antigas Cidades,
vejo os Templos tão firmes de Jerusalém;
as Pirâmides Antigas do Antigo Egito,
proprietário daquele outro grande rio sagrado,
o Rio Nilo Fermoso na época da fartura de trigo,
vejo as Tumbas Memoráveis dos Faraós Memoráveis;
mas sofro e choro quando a seca egípcia vem
e acaba com os grãos de trigo que darão o pão,
e o Povo Antigo sofrendo, sofrendo, sofrendo,
o Povo da Antiga e Gloriosa Nação
implorando a seus deuses muita proteção;
mas, como eu ia dizendo,
vou viajando na Carruagem do Sonho Doloroso,
que pena! meu Sonho de agora
neste Anno Insano de 1999
não é um Sonho Fermoso!,
vou pensando e pensando e pensando
no Sertão do Brasil Varonil,
neste Início Triste de Anno Insano de 1999,
o Povão Infeliz do Sertão morrendo de Fome na Seca Inclemente,
nesta Fase Final do Segundo Milênio Praláde Sem Sal,
o Povo da Seca Nordestina do Brasil Varonil espera o Sertão virar mar
ao longo do Anno de 1999,
os saborosos peixes do mar invadindo o Sertão Brasileiro
no Século XXI do Terceiro Milênio Altaneiro,
se o sertão virar mar,
a Negra Fome de Milhões e Milhões e Milhões de Brasileirins acabará,
o Pobre Coitado do Brasil Varonil
do Segundo Milênio Sem Pão
terá peixe em perene abundância na refeição,
no Terceiro Milênio Cristão...

domingo, 10 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO FINAL CARNAVALESCO DO SÉCULO XX - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO FINAL CARNAVALESCO DO SÉCULO XX - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO SEXTO CANTO


... mas, como eu ia contando,
neste Final de Segundo Milênio,
neste Final de Século XX Sem Sal e Sem Pão para os Seis Milhões de “Pobrinhos” do Brasil Varonil Sem Tostão,
o “Pobrinho” Brasileiro não aproveita nada na Terra do Ão,
só os Poucos Muito Ricos e Cheirosos do Brasil Varonil aproveitam tudo o que podem aproveitar, meu Irmão!;
o “Pobrinho” do Brasil,
neste Final de Segundo Milênio Sem Sal
só aproveita o Carnaval, meu Irmão!;
economiza muito só para sair no Carnaval,
e pula e dança a noite toda com muita resistência;
nesses dias, pobres e ricos se irmanam ao som dos batuques, das cuícas e dos tamborins,
e todos dançam e pulam como loucos nas ruas do Brasil Varonil;
as Escolas de Samba desfilam na Avenida Central do Brasil,
na Avenida que é a vida dos Carnavalescos do Rio de Janeiro Servil,
e a dança mais popular do Brasil invade os salões e as ruas e as boates e os clubes,
e as moças e moços requebram e dançam ao som das cuícas e bumbos estridentes das baterias carnavalescas,
elas tocam três dias seguidos sem parar,
é um espectáculo pagão de rara beleza,
a música carnavalesca nas ruas do Rio de Janeiro Altaneiro,
o céu abraça a terra iluminada e as luzes se encontram,
as luzes das estrelas do céu e das estrelas da terra,
jovens se fantasiam para o Grande Carnaval Sem-Igual,
e sambam e dançam até o Sol Apolíneo raiar,
às vezes não param, emendam o dia com a noite,
são três dias de festa e orgias sem fim,
as bebidas alucinógenas dos deuses pagãos enchem os copos de vidro barato dos Pobres Mortais dos Brasis Desiguais,
muita Desigualdade Social no Brasil Federal deste Final de Segundo Milênio Sem Sal!,
Desigualdade entre os mortais da Terra do Ão,
e a falsa alegria invade os salões e as ruas,
e o Salgueiro Querido dos Foliões Tijucanos do Bloco Carnavalesco Nem Muda Nem Sai de Cima vai desfilar na Avenida Central;
uma Vibrante Troante Escola de Samba do meu Brasil Varonil,
às vésperas do Carnaval de 1999,
a Dita Escola ensaia seus sambas na minha Rua Encantada,
uma rua bacana babélica da Tijuca Sensacional se transforma,
às sextas-feiras altaneiras,
numa Imensa Feira-Mercado à moda medieval,
e essas noites de ensaio não me deixam dormir,
não consigo dormir,
o som é altissonante, barulhento demais;
depois dos ensaios,
nos três dias de carnaval,
o Salgueiro dos foliões tijucanos desfila na Avenida Central do Brasil Varonil,
a Ágora Actual,
neste Carnaval de 1999,
está transbordando de Gente Inflamada,
o Salgueiro desfila eletrizado pra ser Campeão, será Campeão?,
e o céu todo abraça a terra iluminada,
abraça a Terra do Ão, meu Irmão!,
e o Povo Sem Tostão todo esquece os seus insolúveis problemas,
homenageando o poeta popular,
o povo todo, ricos e pobres,
neste Início de 1999, quer morrer no Carnaval,
sambando e cantando, pra esquecer suas dores,
porque somente as alegrias da vida valem lembranças,
e o lá-lá-rá-lá-rá-rá invade os corações com alegria e paixão,
no Rio de Janeiro todo mundo vai cantar e sambar,
o céu abraça a terra iluminada,
quando o Povão Sem Tostão de 1999 quiser morrer,
após um porre titânico,
morrerá feliz,
sambou e cantou e sorriu e chorou;
o bloco saiu com o povo reunido,
brancos e pretos irmanados ao som dos sambas-enredo,
ricos e pobres unidos e esquecidos das diferenças de classe,
a cidade e o morro num grande abraço amigável,
o "pobrinho" do morro beijando a rica mocinha,
aquela moça de boa família que lhe apresentei lá atrás,
páginas de embaralhado tecido verbal,
e saiba Você que todos se unem nos dias de Carnaval no Brasil Federal,
as Escolas de Samba disputam o Grande Campeonato,
a Grande Vencedora neste 1999 levará o Troféu,
a Escola mais linda receberá o prêmio,
a bem fantasiada,
aquela que dançar e cantar com mais entusiasmo e prazer,
receberá aprovação do júri selecto,
por isto, os passistas se esmeram,
os porta-bandeiras das Escolas de Samba rodopiam na Avenida Central do Brasil Federal,
com suas Bellas Fantasias de Príncipes e de Principesas e et cœtera e tal;
cada fantasia mais luxuosa do que a outra,
passam necessidades vitais o Anno inteiro sem sal pra comprar a tal fantasia,
comeram mal pra caramba em 1998,
o dinheiro é escasso,
mas conseguem o dinheiro da fantasia de 1999, sim Senhor!,
se tornam reis e rainhas nas noites de Carnaval Federal,
se tornam famosos nas rodas de samba da Capital,
seus retratos saem nas Revistas da Moda Actual e dos jornais populares,
neste início de 1999, a Televisão Global os eleva ao Patamar da Glória Annual,
se tornam famosos por três dias e nas noites seguintes também,
enquanto durar a euforia,
depois voltam apagados e tristes para a vida diária,
comendo sempre o pão que o diabo amassou,
comendo o pão que o diabo amassou com o rabo,
por três dias foram aclamados e endeusados no Brasil Varonil de 1999;
o Mundo Inteiro virá para o Brasil em 1999,
os Turistas Estrangeiros vêm para o Brasil nos dias em que a Folhinha assinala o Carnaval Sem-Igual,
e os Turistas Estrangeiros invadem o Brasil Federal,
e o turismo brasileiro produz muuuuuuito dinheiro,
só não sabemos neste Final de Segundo Milênio para onde vai o tal dinheiro altaneiro do Carnaval Brasileiro,
o “pobrinho” oprimido neste 1999 vai continuar sem pão,
sonhando por mais um Anno com o Carnaval Glorial,
no Mês de Fevereiro ou Março existe o Carnaval do Brasil,
o Carnaval do Brasil Varonil, meu Amor!,
Festa Antiga e Pagã, agora brasileira,
parece até que o carnaval nasceu no Brasil Varonil,
o Carnaval Dionisíaco é hoje Brasileiro,
o Carnaval de Veneza se misturou com o Semba’Africano e virou Brasileiro,
o Carnaval Antigo da Veneza Antiga,
Carnaval Monumental só mesmo no Brasil Federal,
o melhor Carnaval do Mundo é o Carnaval do Brasil Varonil;
no entanto, nem mesmo o carnaval modifica o Brasil,
por enquanto, neste Início de Anno de 1999,
seremos sempre habitantes do Inglório Terceiro Mundo Rotundo,
não obstante o Carnaval Monumental do Brasil Varonil,
o Maior Espectáculo da Terra é o Carnaval Brasileiro,
muito elogiado no Mundo Rotundo e também no Profundo,
a despeito da violência e das drogas e das orgias pagãs,
Carnaval das brigas de rua e das mortes violentas,
Carnaval bestial muito aplaudido,
a Arena Pós-Moderna é o Carnaval do Brasil dos Muitíssimos Sem-Mil;
todos sabem, tragédias terríveis acontecem no Carnaval Brasileiro,
mesmo assim, os jovens e velhos pulam e dançam as três noites seguidas e os três dias também,
alegrias e dores compõem o Carnaval Federal,
o Carnaval dos pobres é dos ricos também,
as moças de família se despem no Carnaval de 1999,
os moços de família se bestializam no Carnaval de 1999,
as bebidas alcóolicas rolam e rolam e rolam no Carnaval de 1999,
o Povão Sem Tostão todo se embebeda no Carnaval de 1999,
e a Bateria de Músicos Sem Money,
neste Carnaval de 1999,
vai puxando o Cordão de Carnavalescos para esquecer as Derrotas Diárias,
todos dançam e pulam e cantam sem parar,
e os Poucos Muito Ricos semideuses Cheirosos se irmanam com os Pobres Mortais Sudorosos,
os deuses gregos descem do Olimpo Pagão,
e o Indefinido Turista Estrangeiro detecta Febo Apolo fantasiado de Bello Crioulo,
um deus negro descendo do Olimpo-Salgueiro,
mostrando a beleza e esplendor do Homem Brasileiro,
mostrando a Força da Mistura de Raças,
mostrando ao Turista Estrangeiro o que é ser Brasileiro,
mostrando a todos o seu porte altaneiro,
a galhardia de ser Brasileiro, mesmo sem dinheiro,
nesta mistura de raças e religiões,
o Povo Brasilês é uma incrível mistura,
dês que o português aportou per acá, é branco, negro, italiano, chinês;
no Sul do Brasil a origem é alemã,
os italianos também se aclimataram legal,
e os japoneses vieram plantar tomate no Brasil de Cabral,
e por todos os lados se veem olhinhos amendoados,
são Brasileiros Com Muito Prazer,
orgulhosos de sua Terra Natal Brasileira Legal,
jamais voltarão para seus países de origem,
onde nasceram seus avós,
pra cá emigraram,
todos os Estrangeiros Altaneiros amam o nosso Brasil Sem-Dinheiro,
não obstante a pobreza geral deste 1999 sem sal,
todo Comerciante Estrangeiro, morador de acá,
neste Início de Anno de 1999,
quer ser brasileiro...

sábado, 9 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO FINAL COMPLICADO DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO FINAL COMPLICADO DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO SEPTIMO CANTO - 3


... mas quomodo ia contando,
viajo agora para São Gonçalo do Estado do Rio de Janeiro,
e hoje é 1o de Fevereiro de 1999,
a Lua Cheia vai brilhar à noite em Virgem Assanhada,
e flertará com os Astros do Céu Cor de Breu,
os que olham o céu apreciarão a beleza do Mundo Rotundo e do Mundo Profundo também;
são poucos os que olham o Céu Escurecido Com Poucas Estrelas Brilhantes
neste Final de Século XX Demente;
a vida de hoje é uma correria constante,
o dia é pequeno demais, meu Rapaz!,
as Horas Mágicas passam voando voando;
há pouco, passaram as Doze Horas do Dia Estafante,
voando garbosas com suas Asas Brilhantes,
acompanhando felizes a Carruagem do Sol de Apolo Cantante,
voando garbosas pra o Futuro Distante,
soltas, leves e livres no Espaço Dourado,
no Espaço Encantado DeMentes Brilhante,
a deusa charmosa do Grego Antigo Cantante;
há pouco, passaram as Doze Horas do Dia
em direção ao Infinito do Relógio Central do Brasil Varonil,
as Súditas Fiéis de Apolo Cantor
voando voando com o Tempo que passa que passa,
que passa sem princípio sem fim sem medida,
só para recordar-me dos versos do divo Bilac,
o divino Príncipe que da Terra se foi no Princípio do Século XX,
e agora festeja, com outros divinos que partiram da Terra,
o título invejável de Príncipe Cantor Sucessor do Apolo dos Gregos Antigos,
uma honra recebida em seus Annos de Vida na Terra;
há pouco, passaram as Doze Horas do Dia,
enquanto eu,
Odisséia Irinéia Maria,
atravessava de Brasileiro Ônibus Velho do Velho do Restello
a Ponte Praláde Brilhante do Futuro Distante,
pensando em Bilac e em outros divinos cantantes,
que hoje estão no Reino de Deus dos Cristãos,
comendo e bebendo no Banquete Eternal;
Apolo Pagão das Narrativas Antigas de Versos Hexâmetros,
grandiloquentes, troantes,
com ciúme e inveja
a olhar de longe, distante;
os outros deuses do Olimpo de Homero e de Hesíodo
ficam olhando também;
e os da Floresta dos Celtas;
e os deuses tutelares da Roma dos Césares;
os deuses pagãos estão olhando invejosos,
porque o Deus dos Hebreus e também dos Cristãos é o mais poderoso
neste Final de Século XX Sem Mel;
são poucos, no mundo actual, que alcançam tão Alta Honraria,
participar para sempre dos Banquetes do Céu,
ao lado dos Arcanjos, dos Anjos, dos Serafins e dos Querubins
e de toda Hierarquia Celestial Sem-Igual
que compõe o Exército de Deus Onipotente Silente;
Bilac, Alberto, Raimundo e o Cruz,
todos os Poetas do Final do Século XIX no Brasil Varonil
e do Século XX também,
aqueles Poetas formalizaram em poemas a Poesia Volátil,
e mostraram aos incréus a existência de um Plano de Luz
replecto de Imagens Desconhecidas e Magias Sem-Fim,
o Mundo Secreto do Amorfo Silêncio,
do Indizível Espaço Distante das Regras Actuais
e Imperativos Conceitos do Mundo Rotundo,
todos esses Assinalados se banqueteando no Céu Cor de Anil,
o Céu Cor de Anil do meu Brasil Varonil,
porque na Terra honraram seus nomes mortais, agora imortais;
mas, quomodo ia contando!,
as Incríveis Doze Horas do Dia passando passando,
voando felizes em direção ao Futuro Sem-Muro do Brasil Varonil,
a Carruagem do Sol brilhando brilhando,
brilhando lindamente no Infinito Azulado,
brilhando brilhando brilhando nos meus Sonhos Dourados;
Apolo Cantor correndo entre as Nuvens Moventes,
e o dia de hoje replecto de Luz,
os Endeusados Peixões Luzidios e as Sereias Faceiras,
moirenas do Rio Encantado seduzindo os pobrezinhos mortais,
as Sereias Faceiras da Baía Encantada brincando nas praias,
os Peixões Luzidios e as Sereias Moirenas seduzindo os mortais,
levando os fracos mortais à Loucura do Amor;
e Odisséia Maria, esta Vossa Criada,
viajando em direção ao trabalho estafante,
atravessando a Ponte Grandiosa do Futuro Distante,
a Ponte Intrigante DeMentes Brilhante,
óh! Ponte Famosa!,
uma das Maiores do Mundo,
construída com o sacrifício do Brasileiro Povo Sofrido,
um Povo dito Vagabundo no Mundo Rotundo,
mas que trabalha trabalha e trabalha,
e no fim de um mês qualquer
de um Final de Século XX Malfadado,
não tem dinheiro suado pra pagar os Impostos impostos;
desculpe-me o meu Contar Redundante,
óh!, Leitor do Futuro Brilhante Distante!,
os impostos são tantos,
neste Início de Anno de 1999,
que o Pobre Trabalhador do Brasil Varonil quase morre de fome;
neste Início de Anno de 1999,
o dinheiro que sobra não dá para nada, acredite!,
e é preciso comer, senão a morte virá com certeza,
e é preciso se vestir, andar pelado é proibido,
os tecidos de algodão estão custando os olhos da cara,
as costureiras matreiras cobram um dinheirão,
as roupas prontas das Lojas Americanas
e Outras Lojas Por Certo Estrangeiras
custam um dinheirão,
as Montras Lindonas Bonitonas da Cidade Encantada,
com seus nomes difíceis estrangeiros,
expõem as roupas da moda,
e o Pobre Coitado do Brasil Varonil não pode comprar,
não s’esqueça, Leitor!,
neste Anno Insano de 1999;
o Povão Brasilês
(neste início de 1999)
vai vivendo de teimoso que é,
se hoje não tem, amanhã deusdará,
deusdará a comida,
deusdará a roupa,
deusdará a esperança de viver com bonança,
deusdará a esperança para sobviver neste Horroroso Tenebroso Angustioso Caos;
o Caos Apocalíptico do Século XX Agonizante,
mas, mesmo assim,
as Horas Velozes do Tempo Infinito passam felizes voando voando voando,
e o Coração Sem Tamanho do Brasileiro da Cruz se enche de Luz,
o Pobrinho-Brasileiro do Final do Segundo Milênio espera que as coisas melhorem no Reino do Ão!...

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO FINAL COMPLICADO DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO FINAL COMPLICADO DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO SEPTIMO CANTO - 2


... existe ainda neste Final de Século XX,
1o de Fevereiro de1999,
um outro Bellíssimo Palácio Encantado
ornamentando e enriquecendo a Maravilhosa Incrível Cidade do Rio de Janeiro,
é o Palácio dito Presidencial;
o Rio de Janeiro,
em priscas eras,
foi a Capital do Brasil Varonil;
o dito Palácio
é o Palácio do Catete,
localizado no Bairro da Glória Triunfal;
esse Palácio do Catete tem umas águias sinistras
nos cantos sinistros do seu antigo telhado;
há outros bellos Palácios no Rio, Encantados,
quomodo, por exemplo, o Palácio do Itamarati,
também o do Museu da República,
ainda o Velho Palácio da Praça 15 de Novembro,
e mui outros da época em que os Reis de Portugal aportaram per acá,
incluindo os posteriores Palácios do Esplendor do Café;
no Século XXI existirão Palácios no Rio de Janeiro?, será?;
o Rio de Janeiro, neste Final de Século XX,
está a se transformar numa Imensa Favela Sem Água e Esgoto
e Sem Apoio Político Legal,
meu preocupado Leitor do Terceiro Milênio,
do Quarto,
do Quinto,
quem sabe?, do Sexto também;
talvez, Você só saberá que existiu a Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro Altaneiro
no Mundo Rotundo Sem Fundo,
Raimundo!,
por intermédio destas Palavras Aladas,
se estas Palavras Aladas chegarem a Você,
meu Amor!, meu Netinho!;
no Século XXI do Terceiro Milênio existirá a Ponte Rio-Niterói?, será?,
aquela construída com o sacrifício do Povo Dito Preguiçoso e Vagabundo
Sem o Soldo Necessário no Bolso do Casaco Surrado?, será?,
no Século XXI existirá a Cidade do Rio de Janeiro Encantado?, será?,
a Cidade Mais Bella do Brasil Varonil e do Mundo Rotundo Sem Fundo;
será que existirá o Mundo Rotundo, Raimundo?...

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO FINAL COMPLICADO DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO FINAL COMPLICADO DO SÉCULO XX – 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO SEPTIMO CANTO - 1


... mas, quomodo já lhe disse páginas atrás,
para o Governo do Rio de Janeiro,
neste Início de Anno de 1999,
o Povo Carioquês conta com o Menininho Mui Bonitinho,
esperando com fé que ele cumpra o muito prometido,
tudo o que ele prometeu na Campanha Eleitoral
para as Desinformadas e Malfadadas Eleições de Novembro de 1998;
entretanto, alguns políticos fazem promessas
e não cumprem nem a metade,
sempre prometem solucionar os problemas do Povo Sofrido;
depois de eleitos, não solucionam nada;
por enquanto, eu repito, por enquanto,
por enquanto, por enquanto, por enquanto,
no Menininho do Rio todos confiam,
ele é um Crente em Jesus, é religioso demais!,
e é um garotinho mui bonitinho,
ele vai cuidar do Rio Encantado com amor e carinho,
não esquecerá suas sinceras promessas não,
vai consertar o Rio de Janeiro,
eu vou esperar!, esperar! esperar! esperar!,
ele vai limpar as ruas da Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro;
limpar, por exemplo, o rio Maracanã na Tijuca,
tão sujinho! coitado!,
bem perto do meu Micro-Casulo de Seda Mineira,
moralizar o Desmoralizado Anterior Reinado,
tapar os buracos da Cidade do Rio,
melhorar o atendimento público nas Repartições Públicas do Rio de Janeiro,
cuidar dos Hospitais Abandonados,
cuidar da saúde do Povo Sofredor,
neste Início de 1999
(não s’esqueça jamais das Datas Legais!, meu Rapaz!),
matar a Fome dos Miseráveis Fluminenses,
solucionar os problemas do Pobre Trabalhador Carioquês-Brasileiro Sem Eira Nem Beira e sem dinheiro no bolso do casaco surrado,
pois os Pobres daqui,
desde Meados do Século XX
vão vivendo quomodo Deus quer, como, quomo Você quiser!,
mesmo que alguns Riquinhos digam o contrário,
neste Início de Anno de 1999,
que está tudo bão no Reino do Ão,
os Pobres daqui vão vivendo quomo Deus quer;
quomo, como, quomodo Você quiser!,
se hoje não tem, amanhã deusdará;
mas o Menininho é o Actual Eleito Governador;
aquele, o que diz “está tudo bão!”,
neste Anno Azarado do Final do Segundo Milênio Encrencão,
não votou no Menininho Bonzinho não,
não faz parte da Oposição ao Mal Sem Razão, não Senhor!,
é partidário do grupo da Enrolação;
o Menininho, por enquanto, por ora,
se ele no Futuro do Século XXI não virar a Casaca,
repito, por ora,
é uma pedra no caminho da situação,
neste Início de Anno de 1999,
por isso, para ele, até então,
não estava nada bão, meu Irmão;
o Povão Sem Tostão, por ora, e por agora,
confia no Menininho Mui Bonitinho,
ele é um Crente em Jesus e cumprirá o prometido,
neste Início de 1999 até o Final do seu Mandato Esperado Sensato,
cuidará dos Horrorosos Problemas do Povo Sofrido;
mas ele, Coitado!,
carrega um Grande Fardo,
mora num Palácio Praláde Encantado,
mora em um Grande Palácio Bem-Assombrado,
mora no Palácio do Governador,
no Bairro das Lindas Laranjeiras em Flor,
das Verdes Laranjeiras Gigantes do Imperador;
naquele Bairro Assinalado, no passado,
ali, havia muitas gigantescas laranjeiras em flor,
depois as ditas premiavam as crianças com saborosas laranjas-da-terra;
ele mora no Palácio das Laranjeiras em Flor,
de Florezinhas Branquinhas Branquinhas,
pra lá de Branquinhas...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO FINAL ENTRANÇADO DO SÉCULO XX - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO FINAL ENTRANÇADO DO SÉCULO XX - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO OITAVO CANTO - 6


... neste 13 de Fevereiro de 1999,
o meu jeito expansivo vai brilhar pra valer,
e o Treze,
quomodo já lhe disse,
é o meu Número de Sorte,
e até 28 de Março de 1999 estarei atraindo o Amor Redentor,
surgirão no Brasileiro Futuro Seguro do Século XXI diversões e chances de Viagem Praláde Aventurosa,
de conhecer Países Exóticos e outras maneiras de viver aqui nesta Terra de Deus dos Cristãos e Hebreus,
sou Sagitariana Brasileira Brasilesa Brasilana com muito prazer!,
e quero Viajar Viajar Viajar Sem Parar;
mas, claro!, irei Viajar no Século XXI, sim Senhor!, meu Amor!;
Com Todo Aquele Dinheirão Prognosticado Por Um Orago de um Futuro Seguro Ex-Antigão!;
Júpiter me dará o Dinheiro da Sorte,
digo, com o dinheiro que o meu Amor Transcendental Sem-Igual me dará de presente;
melhor ainda, com todo o suado dinheirinho que receberei trabalhando discursando no Século Seguinte,
irei viajar, viajar, viajar;
irei viajar no Século XXI, sim Senhor!,
desta vez a Grécia dos Heróis não me vai escapar, meu Amor!,
irei à Grécia, sim Senhor!,
foi Mercúrio Veloz que mo disse;
dormirei, encantada!,
ainda na Grécia das Bellalendas Antigas,
na cama que escolherei,
com o estupendo deus guerreiro da lança certeira que domarei,
tudo é possível no Plano da Epo-Ficção!,
e viajarei animada na Carruagem de Apolo Musicista Tão Bello e Charmoso,
aquele Sol divindade que sempre trazia o dia celebrado nas Campanhas Antigas,
Vitorioso,
Orgulhoso,
tendo quomodo Cocheiro o Atrevido Faetonte;
mas não quero graça com Hefesto de Hades,
prefiro um tête-à-tête com Osíris divino;
mas Osíris reina no Egito distante e também no Olimpo Barulhento Mercado Saara do Rio de Janeiro,
e o Olimpo da Grécia está mui longe do Egito,
está longe da Cidade de acá;
talvez, quem sabe?,
uma voltinha sem compromisso na Floresta dos Celtas,
uma palavrinha com o deus Thor, quem sabe?,
vou pegar o martelo de Thor e gritarei o meu grito de guerra;
eu, Jane Odisséia da Grande Selva Tropical do Brasil Varonil!,
e Vossa Mercê, meu Tarzan!, meu Herói!,
digo, Vosmecê, meu Osíris!,
Thor, quero dizer!,
ou, você, Júpiter,
ou, ocê, Zeus;
óh! Confusão Mitológica!,
Odisséia Maria!,
cê está a misturar os Mitos do Mundo!, óh, Mulherrrrrr!!!,

terça-feira, 5 de outubro de 2010

ODISSÉIA MARIA DO FINAL ENTRANÇADO DO SÉCULO XX - 1998 / 1999

ODISSÉIA MARIA DO FINAL ENTRANÇADO DO SÉCULO XX - 1998 / 1999

NEUZA MACHADO

VIGÉSIMO OITAVO CANTO - 5


... neste Final de Século XX-1999
e Final de Segundo Milênio-1999 também,
o Maior Problema do Brasil Monumental
é a Negra Fome em Geral,
são milhões
e milhões
e milhões de Brasileiros
passando fome no Brasil Varonil
(busquem aí em Vossas Internetes do Século XXI),
a Fome Real do Nordeste Brasileiro e Arredores principalmente,
mais de Oitenta Por Cento dos Brasileiros morrem de Fome aqui no Brasil Cor de Anil,
neste Final de Segundo Milênio-1999
(pesquisem! Por favor!),
no Nordeste Brasileiro
e nas Grandes Favelas das Grandes Cidades do Brasil Varonil,
de Sampaulo,
Rio de Janeiro e Belô,
de Curitiba, Santos e Salvador,
do Oiapoque ao Chuí a Pobreza é Geral
neste Início de Anno de 1999,
a Pobreza Impera no Brasil Federal,
neste Final de Século XX do Mal,
neste Final de Segundo Milênio Sem Sal;
e ainda tem Gente Cheirosa
e cheia de dinheiro sem suor
achando que tudo está very good,
tem Gente Cheirosa achando que o Pobre Brasilês Trabalhador
merece essas Agruras da Vida
neste Início de Anno de 1999,
que o Pobre Brasilês Esfomeado não sabe valorizar o que tem
(será que ele tem?; de graça, ele só tem o Sol!),
tem Gente achando que tá tudo uma maravilha no Reino do Ão
neste Final de Século XX Encrencão;
mas, mesmo assim,
com todos os Insolúveis Problemas do meu Brasil Problemão,
neste Início de Anno de 1999,
eu, Odisséia Maria da Estrella Guia,
não saio daqui não!,
pois amo de verdade o meu Brasil Varonil
e seu Destemido Povão, meu Irmão!...